Pesquisar este blog

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Tour Orquestral Brasil e Simone Leitão Apresentam Orquestra Sinfonica de Barra Mansa

  Tour Orquestral Brasil e Simone Leitão

O concerto integra a turnê do projeto Orquestral Brasil, com a presença da pianista Simone Leitão e a Orquestra Sinfônica de Barra Mansa – OSMB, apresentando um repertório tradicional sinfônico. O evento busca promover o acesso à música erudita e a formação de público em todo o país.

A OSMB é formada por jovens entre 15 e 28 anos, de baixa renda, em sua maioria nascidos e criados na região de Barra Mansa e Volta Redonda (RJ). Muitos deles também frequentam o recém criado curso de Graduação em Música, no Centro Universitário de Barra Mansa – UBM, por meio do convênio mantido entre o Orquestral Brasil, a prefeitura local e a instituição de ensino superior. Além disso, os jovens têm a oportunidade de ensinar música às crianças do Ensino Fundamental da cidade.

A pianista mineira Simone Leitão tem sólida carreira como solista e camerista nas Américas, Europa e China. Reconhecida pelo público e crítica, a musicista se apresenta anualmente em teatros como Carnegie Hall, Gewandhaus zu Leipzig, Sala São Paulo. Já foi solista de orquestras como Miami Symphony e se apresentou ao lado dos maestros Eduardo Marturet, Ricardo Castro e Luiz Fernando Malheiro. Grava pelo selo americano MSR Classics, é Diretora Artística e Fundadora da Brasil Classical (desde 2009).

fonte fcs.mg.gov.br/programacao/orquestral-brasil-e-simone-leitao

Mais e mais informações sobre a pianista no site http://www.simoneleitao.com/pt/fotos.shtml

Sobre a Regente Apo Hsu o curriculum é gigante e o que eu posso dizer é que ela é sensacional. Colei um video da regente em ação. Espetáculo !
https://www.facebook.com/pages/Apo-Hsu/110099012376304#

Uma amostra do que vimos ontem você pode conferir no video abaixo com outra orquestra, mas com a mesma pianista

Posso afirmar que foi emocionante e sensacional. Bravo !


Publicado em 08/08/2012
Rachmaninoff concerto no. 2 - Moderato
Sala São Paulo - Simone Leitão and Heliópolis Symphony
Conductor: Edilson Ventureli

terça-feira, 29 de outubro de 2013

October Rock pt. I

Amante do bom e velho roquenrol e influenciado pelo meu xegado Marcos @Rei_23 do blog http://bau-do-rei.blogspot.com.br/  vou listar alguns artistas que ouvi e baixei ( por que não? ) neste mês de outubro de 2013.

  1. Kings of Leon
  2. Fitz and the Tantruns
  3. The Strypes
  4. Pearl Jam

((((( Pump up the volume ))))


A primeira é a banda Kings of Leon, que dispensa comentários. Sons como Sex on fire, King of the rodeo, Use Somebody e Molly´s Chamber arrebentaram e agora vem com 
Supersoaker do seu mais recente álbum. Kings of Leon - Mechanical Bull (Deluxe Edition ) .






Na sequencia vamos de Fitz and the Tantruns com Spark. Uma banda formada em 2008 e com estilo próprio. Um som "bem bacaninha" com uma levada pop que me agrada bastante. Boa pra aliviar as tensões. O àlbum da banda tem outras muito legais como The Walkier e Out of my league com 2 versões no cd com video clip, inclusive.









The Strypes é uma banda de adolescentes com idade média de 20 anos. Fazem um rock and roll legítimo e todas as faixas são excelentes, inclusive os covers. O som que lançou essa galerinha foi What a Shame, mas eu separei um video deles fazendo o cover de  Rollin and Tumblim, gravada em 1929 por Mudy Waters.







E por que não citar Pearl Jam no meio desse rapaziada ? Com o som Mind your Manners o PJ arrebentou mas deixou a desejar no album todo, esperava mais, contudo continuam sendo uma das melhores bandas das últimas décadas. 
Seria de Bowie o par de olhos a te espionar ?














segunda-feira, 28 de outubro de 2013

This is not a perfect day !


Lou Reed (Brooklyn, Nova Iorque, 2 de março de 1942 — Long Island, Nova Iorque, 27 de outubro de 2013 ) foi um cantor, guitarrista e compositor norte-americano e considerado o 81º melhor guitarrista de todos os tempos pela revista norte-americana Rolling Stone.

Foi um dos vocais do The Velvet Underground, influenciando Iggy Pop, New York Dolls e David Bowie. Mais tarde toda a cena pós-punk inglesa. Admirador de Edgar Allan Poe e Raymond Chandler, além de James Joyce, a quem faz referências em Blue Mask.

Em maio de 2013 passou por um transplante de fígado. Voltou a ser internado em julho com um quadro de desidratação severa, vindo a morrer em 27 de outubro deste ano.

Fonte : Wikipédia



Do Jornal Estadão
Antonio Gonçalves Filho - O Estado de S. Paulo

http://www.estadao.com.br/noticias/arteelazer,morre-aos-71-anos-o-guitarrista-lou-reed,1090348,0.htm

Um mito da música pop à altura do que representou Andy Warhol para as artes visuais, o cantor e compositor norte-americano Lou Reed morreu ontem, aos 71 anos, de complicações relacionadas ao transplante de fígado a que foi submetido em abril deste ano. Usuário de drogas e bebidas alcoólicas por muitos anos, Reed cancelou shows programados na Califórnia naquele mês. Sua última aparição pública foi em junho, no Cannes Lions Festival Internacional de Criatividade. Na ocasião, ele revelou seu choque diante das revelações de Edward Snowden sobre a NSA (National Security Agency) e a omissão do presidente Barack Obama sobre a interceptação de telefonemas e mensagens eletrônicas de países estrangeiros pelo órgão de segurança nacional dos EUA.

No mesmo mês, em seu site, Reed disse que se considerava "um triunfo da medicina moderna" por ter sobrevivido ao transplante, anunciando aos fãs que continuava a compor e pretendia voltar aos palcos. Depois disso, o silêncio. Ontem, nem mesmo a imprensa estrangeira acreditava que ele havia morrido. Vale lembrar que, em 2001, uma rádio americana espalhou a notícia de sua morte por overdose. Quem primeiro noticiou sua morte foi o site da revista Rolling Stone. Seu empresário Andy Wooliscroft inicialmente negou, mas logo foi obrigado a admitir sua morte, resumindo sua fala a "Estou muito triste". O certo é que, desde abril, Reed apenas sobrevivia com o fígado transplantado, surpreendendo até mesmo sua mulher, a cantora e também compositora Laurie Anderson, um dos grandes nomes da arte de vanguarda nos EUA.

Desde cedo frequentador da Factory, a fábrica de arte, música e cinema do artista pop mais célebre do mundo, Andy Warhol, Reed formou, em 1964, a Velvet Underground, a mais influente banda experimental nova-iorquina. Não era exatamente um êxito comercial, mas influenciou muitos grupos americanos e ingleses da cena punk com seu visual dark e uma cantora imposta pelo mentor da banda, Warhol. Seus integrantes não pareciam contentes com a modelo alemã Nico, mas ganharam de presente do pai da arte pop uma banana desenhada para a capa do primeiro disco, de 1967, The Velvet Underground and Nico.

Os temas que marcariam as canções de Reed já estavam todos no disco inaugural da banda: drogas (Heroin, sobre a experiência de John Cale com a heroína), sexualidade fora dos padrões (Venus in Furs, sobre relações sadomasoquistas) e comportamento marginal (There She Goes Again, a saga de uma prostituta de rua). Um dos sustentáculos musicais do Velvet Underground, John Cale, que tocou viola elétrica, piano e celesta no primeiro disco, saiu da banda logo no começo. Nico praticamente foi expulsa.

O Velvet sobreviveu sem os dois e gravou cinco discos até 1973, com canções menos provocativas. Em 1972, no segundo álbum solo de Reed, Transformer, ele emplacou seu maior sucesso, Walk on the Wild Side, que descrevia os tipos que circulavam pela Factory de Andy Warhol, mas, na verdade, era mesmo uma transposição musical dos temas do romance homônimo de Nelson Algren publicado em 1956. Algren (1909-1981) foi amante de Simone de Beauvoir e um militante vigiado pelo FBI por seu apego à classe operária e aos marginalizados (é dele o romance O Homem do Braço de Ouro, sobre um baterista e crupiê viciado em heroína, que, no cinema, foi interpretado por Frank Sinatra). Reed, um intelectual, lia tudo sobre o submundo americano. Adorava os escritores da beat generation. Era particularmente fascinado por William Burroughs. Nesse passeio pelo lado "selvagem", ele topa com  transsexuais, drogados, prostitutas e prostitutos. A RCA lançou o disco nos EUA sem referência ao sexo oral que fez da canção uma peça de escândalo.



Lou Reed era um adolescente de 15 anos quando On the Road, a bíblia da geração beat, foi publicado. Sua admiração por Jack Kerouac fez com que ele imitasse não só o estilo beat de ser (blusão de couro, óculos escuros), como de viver. Bissexual, ele foi submetido pelos pais a uma violenta terapia de eletrochoque em 1956, para "curar" sua orientação erótica, um ano antes de On the Road (a traumática experiência é descrita na canção Kill Your Sons).

O cantor não deixou, claro, de ser bissexual. Foi uma grande influência para o andrógino David Bowie, um dos produtores de Transformer, que fez com ele um show inesquecível no Madison Square Garden, quando Lou Reed completou 50 anos. Culto, talentoso, embora antipático e por vezes grosseiro, ele esteve no Brasil em algumas ocasiões, entre elas para o lançamento de um livro. Além de músico, Reed colaborou com grandes diretores de teatro (Bob Wilson) e cinema (Wim Wenders) e lançou, no ano passado, o livro Rhymes (Rimas). No Brasil, a Companhia das Letras lançou em 2010 o livro Atravessar o Fogo, com mais de 300 letras suas.

--------------------------------------------------------------------------------------------------

Reveja alguns momentos da vida de Lou Reed e seus amigos Christa Päffgen, Iggy Pop, David Bowie, o pessoal do Mettalica e um cartaz de muro da banda Velver Underground no game Street Fight.

Pessoalmente gosto de Sweet Jane, Perfect day, Walk on the wild side, Vicious e Soul Man com Sam Moore e Dirty Boulevard.













sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Aumento do IPTU e da cara de pau dos vereadores.

Da Folha de São Paulo :
http://folha.com/no1361828

24/10/2013 - 22h22
Veja como votou cada vereador sobre aumento do IPTU em SP

A Câmara Municipal aprovou nesta quinta-feira (24), em primeira votação, o aumento do IPTU em São Paulo. No total, 31 vereadores foram a favor das mudanças, 13 contra e 11 vereadores não ficaram até o final da sessão. O projeto ainda passará por uma segunda --e última-- votação, que deve ocorrer na próxima semana.

A aprovação aconteceu após intensa pressão da oposição e também de vereadores da base para que o prefeito Fernando Haddad (PT) baixasse o teto de aumento do imposto. Veja abaixo como votou cada um dos vereadores.

O texto foi aprovado com mudanças: os tetos de aumento baixaram de 30% para 20% para residenciais e de 45% para 35% nos demais somente no primeiro ano. A partir de 2015, os limites máximos serão reduzidos ainda mais --para 15% e 10%, respectivamente.

Porém, imóveis que valorizaram acima dos tetos, a diferença será diluída nos anos seguintes, respeitando os tetos. De acordo com a base aliada do governo, a correção da inflação não será embutida nos aumentos.

A mudança ocorreu após a Folha revelar que, se o projeto original fosse mantido, 1,3 milhão de contribuintes (45%) pagariam aumentos seguidos de IPTU após 2014. Na noite de quarta-feira, a administração confirmou que os resíduos seguiriam até 2017

___________________________________&#&_______________________________

Carômetro 

click na imagem para ampliar e veja bem a carinha dele para não errar na próxima eleição.


click na imagem para ampliar e veja bem a carinha dele para não errar na próxima eleição. 





terça-feira, 22 de outubro de 2013

A incrível história dos Bigols

Acontecimentos surreais no País do faz de conta, do me engana que eu gosto, estupra mas não mata, do povo que tem gingado, dá um jeitinho, um migué, das crianças nos faróis, da cracolândia e seus zumbis, dos mensaleiros que vestem camisa vermelha e pólo amarela e azul. Do povinho bunda mole mas que gosta de aparecer no "feice" e no instagram com suas causas perdidas ou seriam causas oportunistas ?

Queria dar uma idéia aos Black Blocs, que tal encarar o tigre aew ?

Pessoal estranho, confuso, sem cultura e que gosta de destruir. Qual é a sua ? O que se propõe a fazer ? Quais são os seus objetivos destruindo laboratórios ? Aliás são os mesmos que destroem carros de emissoras de TV, lojas do comercio de rua, qual o sentido em destruir uma loja como a Marisa ? Saquear calcinhas e sutiãs ?  Será que o Templo da Carne de Marcos Bassi está ameaçado ? Será que o Galetos corre risco ? Não poderemos comer carne maturada nem franguinho ao molho pardo ? Coitadinho do bezerro e do galetinho. O que falar da carne de Jacaré, esse ninguém salva. E por que não malhar a indústria de carne suína, engordam os porcos a fim de que ?

Será que teremos manifestação contra o consumo de bacon para a salvação das leitoas ?

Sifudê antes que eu me esqueça.




quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Black Sabbath em São Paulo

Por volta das 21h00 eles entraram no palco ao som de War Pigs, uma catarse para os quase 80 mil que ali estavam a espera de Tony Iommi, Geezer Butler, Ozzy Osbourne e Tommy Clufetos, o baterista que toca com Ozzy e assumiu o lugar de Bill Ward, aliás tocou muito com direito a solo de minutos....

Pura emoção do início ao fim. Uma apresentação sem igual. Músicas das décadas de 70, 80 e do novo álbum 13.

O som que mais agitou a galera na minha opinião foi Paranoid e depois Iron Man, mas outros sons alegraram o coração dos metaleiros como em Ending of the Begining e God is Dead ? do novo album. Um solo inesquecível de Geezer Butler em N.I.B., trovões e chuva na introdução de Black Sabbath ao vivo foi sensacional. Tivemos também Fairies Wear Boots do segundo albúm ( Paranoid 1970 ) e a maravilhosa " Children of the grave ( Master of Reality de 1971 ) e Snowblind ( Vol.4 de 1972 ) Ozzy cantando e atuando como o melhor front band, o melhor vocalista, agitador, interação com a platéia e o seu famoso grito " I can´t fucking hear you " Looooouder " de todos os tempos.  Poderiam ter inserido no playlist Sabbath Bloddy Sabbath, Eletrical funeral e Changes, mas tudo bem, estão perdoados.

Arrepiante para quem acompanha o Heavy Metal desde a adolescencia e que pode presenciar o show dos verdadeiros criadores do Metal.

A nota triste fica por conta da invasão da galera da Pista e Pista Premiun no espaço reservado aos PNE ( portadores de Necessidade Especial ) expulsando a galera da cadeira de rodas e muletas. Bombeiros foram chamados e os deficientes muito chateados acompanharam o show da maneira que não deveriam. Falta de respeito e educação.

Segue o playlist oficial e algumas fotos que tentei tirar no auge do show, olhava, ouvia e clicava.

War pigs - Into the void - Under the sun - Snowblind - Age of reason - Black sabbath - Behind the wall of sleep - N.I.B. - End of the beginning - Fairies wear boots - Rat salad - Iron man - God is dead? - Dirty women - Children of the grave - Paranoid