Pesquisar este blog

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Trilhas Sonoras - Esquadrão Suicida, Narcos e Stranger Things

A trilha de Esquadrão Suicida é muito interessante para quem aprecia hip hop, um balanço setentista e pra você que curte um "classic rock".

A trilha começa em alto e bom som com o produtor musical e Dj californiano Skrillex e Rick Ross, um happer americano conhecido por ter sido agente penitenciário. O som é Purple Lamborghini, um hit, uma mistura de hip-hop com dub step que traz efeitos e sons do filme e a voz pesada de Rick Ross. Na sequência um som com a voz defeituosa de Lil Wayne misturada com Wyz Khalifa, outra revelação norte-americana com Dj, Ator, rapper vencedor de artista revelação Billboard em 2012  e a banda Imagine Dragons, realmente muito ruim o som Sucker for Pain e pra continuar no tom meia-boca, temos a "dupla-de-dois" os americanos de Ohio (queosparta) Twenty One Pilots, fez relativo sucesso aqui no Brasil com Stressed Out e nessa trilha vem com Heathnes, talvez o clip seja mais legal que a musica. Resolvi passar as musicas porque tá feia a coisa, senão vejamos "ouvamos" Kehlani querendo ser Gangsta ( sic ) e  Kevin Gates um cara confuso até na sua biografia, com Know Better. Na faixa das musicas ruins ainda temos Grace feat. G-Easy, pouca referências mas sobra em mal gosto e a bonitinha Skylar Grey, que ja foi Holly Brook e que já até cantou com Linkin Park, de resto pouco importa.




Vamos falar das músicas boas. Eminem e a sensacional "Without me", #01 no mundo, entra as 250 melhores músicas da década de 2000, segundo lugar no #100 Billboard entre outras do excelente album The Eminem Show de 2002.  Temos tb Creedence e deles nem precisamo falar muito, continuam e sempre serão um classic rock dos bons, na trilha temos "The Fortunate son"

Nessa trilha temos duas covers das boas:  A volta dos que não foram, a galera de Las Vegas que era uma banda mas que no final só restou o vocal como membro da formação inicial, o Panic! at The Disco faz uma bela versão de Boehmian Rhapsody, vale a pena. A outra cover muito das boas é do estúdio Confidential MX com a vocalista Becky Hanson fazendo "I started a Joke" de Bee Gees.

Pra fechar temos a banda setentista californiana de funk soul music, War com " Slippin' Into Darkness" Um de seus fundadores foi Eric Burdon, do The Animals, que depois saiu também e seguiu carreira solo. Este som é sampleado por Racionais Mc's, ao ouvir você irá se lembrar.



Narcos - Toda a trilha é sensacional e o melhor, composta 100% por um brazuca, Pedro Bromfman, que entre outros trabalhos tem Robocop, Max Payne 3, Tropa de Elite, Days of Fight.... veja o site do cara http://www.pedrobromfman.com/home.php

A trilha você encontra a venda LP duplo, printado, coisa linda http://www.invada.co.uk/collections/frontpage/products/narcos-original-soundtrack-bundle-pre-sale-1

Eu gosto muito do som da abertura, Tuyo com a voz de Rodrigo Amarante ( Los Hermanos )





Stranger Things pegou e pegou pra valer, e se você ainda não viu, veja. A trilha sonora é muito boa, variando sons dos anos 70 e 80 que viajam pelo punk, rock, o progressivo e o instrumental, sim, temos uma clássica de Mozart também.

Pra começar vou listar as músicas que eu mais gosto:

Jefferson Airplane uma das mais conceituadas bandas dos anos 60, a primeira banda de rock psicodélico de São Francisco, com mais de 20 anos de carreira e mais de 15 integrantes durante sua trajetória ativa até os anos 2000. A vocalista Grace Slick é uma das maiores e mais potentes vozes femininas de todos os tempos, fantástica em White Rabbit.

Joy Division é um dos maiores artistas de todos os tempos e nessa trilha ouvimos a sensacional Atmosphere, lançada originalmente em 1980 e remasterizada 2010. New Order também está presente com a instrumental belíssima Elegia, remasterizada 2015 e editada para 4min56, sua versão original passa dos 17min.

Outro som muito foda é Echo and the Bunnymen - Nocturnal Men, uma banda sem comparação e marcante para quem curti rock dos anos 80.

Existem covers e covers e Peter Gabriel faz um de "Heroes" que na minha opinião supera a original de Bowie. Uma cover retirada do album Scratch my back, oitavo da carreira desse monstro da musica, do rock, do pop, de tudo.




E se você nunca ouviu Television não sabe o que está perdendo. Television é uma das mais importantes bandas da cena punk em NY nos anos 70 e Marquee Moon seu primeiro grande sucesso. Na trilha temos a versão remasterizada de LP com incíveis e absolutos 10min45. Nessa pegada punk a trilha resgata um punk tipo suicida dos anos 80, Reagan Youth com " Go Nowhere " ao vivo e o "crássico" do The Clash "should i stay should i go" presente em quase todos episódios da série.

Tem também The Smiths "there is a light that never goes out" e Modern English " I melt with you " ambas remasterizadas e sonoridade excepcional.

Lembra da banda The Bangles, "walk like an egyptian"  em Stranger Things eles tocam "Hazy Shade of Winter", temos também uma banda setentista do rock and roll Foreigner " wait for a girl like you " uma lentinha clássica que tocou em Footlose, no game GTA e Rockband, no seriado Glee entre outros. Outra babinha que toca na trilha é Toto, "Africa" quem nunca bateu o pézinho ouvindo. Finalizando temos o espetacular, DJ, fotógrafo, multi instrumentista Moby e a belíssima "Whem its cold i'd like to die"

 De resto você ainda ouve os canadenses da banda Trooper "Raise A Little Hell" , pop rock atuante desde 1975 , o canadense pop new wave Corey Hart "Sunglasses At Night" de 1984, a banda novaiorquina setentista Tony Orlando & Daws "Tie A Yellow Ribbon `Round The Old Oak Tree" e a estrela mundial e renomada do country americano, atriz, autora, cantora, empresária e produtora Dolly Parton "The Bargain Store".

A trilha ainda traz instrumentais de peso com Vangelis e Tangerine Dream, inclusive música clássica Orchestra Mozarteum "Concerto for 2 Violins, Strings, Basso in D Minor" e as natalinas The Mormon Tabernacle Choir "Carol of the Bells" e Bing Crosby  "White Christmas"

Ao todo são 26 faixas pra você curtir e viajar. Se você assistiu o seriado a cada música uma lembrança, uma imagem surgirá, se não viu vai gostar muito também. Vale a pena !






segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Com ou Sem BV ?

Uma pergunta que quase sempre aparece no momento de fechar um trabalho, um "job", um "trampo" para produção de comunicação visual "com ou sem BV? " ,  "quantos porcentos?"
O BV é algo usual entre agências x clientes. Fiz uma rápida investigação na internê para saber um pouco mais do assunto, porque sempre questionamos se esse pagamento é legal, ilegal ou engorda ?
Muitos concordam e muitos discordam veemente, inclusive com discussão no STJ e citações na operação Lava Jato da PF.
Um novo código de conduta da APRO - Associação Bras. de Produção de Obras Audiovisuais endurece ainda mais essa prática,  veja link no final do texto abaixo que retirei do blog.procriativo.com.br

O BV (bônus de veiculação) como ainda é chamado por algumas agências e empresas, é a Comissão de Agência.

Exemplificando, toda a vez que um cliente contrata uma agência de publicidade ou propaganda, 20% do valor que ele irá investir na veiculação será destinado à ela. Vamos imaginar que o mercado de publicidade e propaganda seja um grande restaurante e as agências sejam os funcionários do local, você não vai à um bom restaurante, é bem atendido e sai sem pagar a porcentagem que lhe é cobrada pelo serviço, o mesmo acontece na hora de anunciar.

Essa comissão de agência evita que haja uma disparidade muito grande entre o preço dos serviços prestados pelas agências, e assim permite que o cliente escolha a agência com quem quer trabalhar baseado na qualidade dos serviços e não no preço. Assim, os profissionais do ramo se esforçam para oferecer outros elementos diferenciais, como criatividade, eficácia, atendimento, estratégia e não só preço.

Segundo o CENP, que legisla a respeito do relacionamento entre Agências, Veículos, Prestadores de Serviço e Clientes, o chamado BV é realizado de forma legal, sendo que toda agência tem direito a 20% sobre a verba veiculada ou 15% no caso de  serviços, como impressão gráfica.

2.5 O “desconto padrão de agência” de que trata o art. 11 da Lei nº 4.680/65 e art. 11 do Decreto 57.690/66 é reservado exclusivamente à Agência, com a finalidade de remunerar seus serviços como criadora/produtora de conteúdo publicitário.

Vale ainda ressaltar que é expressamente proibido que mídias de grande porte, como emissoras de tv, negociem diretamente  a veiculação de propaganda com o cliente, sem o intermédio de uma agência, que por sua vez não pode devolver esse valor ao cliente sob acordo algum


FONTES :

http://adnews.com.br/negocios/apro-quer-abolir-pratica-do-bv-de-producao-do-mercado.html

http://adnews.com.br/publicidade/presidente-do-stf-sobre-bv-um-atentado.html

http://blog.procriativo.com.br/porque-o-bv-e-importante-tanto-para-a-agencia-quanto-para-o-cliente/ ( TEXTO COLADO )

http://tudibao.com.br/2010/07/agencia-boa-barata-o-que-e-bv.html

http://www.meioemensagem.com.br/home/comunicacao/2015/04/29/bv-de-produ-o-os-perigos-da-rela-o-paralela.html

http://www.ifd.com.br/publicidade-e-propaganda/curiosidade-o-que-e-bv/

http://www.meioemensagem.com.br/home/comunicacao/2016/04/11/apro-endurece-regras-contra-bv.html