terça-feira, 10 de outubro de 2017

SP TRIP 2017 - Def Leppard, The Kills, Bon Jovi e Aerosmith

SP TRIP - Setembro de 2017


Shows 
The Kills
Bon Jovi
Def Leppard
Aerosmith

Acesso rápido e barato, entrada facilitada, espaço excelente para shows mas como nada pode ser perfeito, teve uma cerveja horrorosa. Um show de Rock não pode ter uma cerveja de tão baixa qualidade como a Itaipava.

Vamos aos shows:

No dia 23/09 assistimos das cadeiras nivel 01 do Alianz Parque o show de abertura da banda The Kills liderada pela bela  VV codinome de Alison Mosshart uma front band da melhor qualidade e de todos os adjetivos possíveis mais o guitarrista Hotel codinome de Jamie Hince. Sonzeira que arrebatou a galera. Gostamos bastante mas vimos e ouvimos bastante mimimi do público, que por ser do Bon Jovi é bem misturado e não entende muito bem o The Kills.

Bon Jovi e banda entraram em palco as 21h30 e por mais de 2h tocou hits e músicas do novo album da banda, "This house its not for sale" que inclusive foi promessa de retorno da turnê a SP em 2018. O mais incrível do show em SP foi a inclusão de músicas que não tocaram na apresentação da banda no Rock in Rio 2017, Always por exemplo foi o máximo para o público. Showzaço. Bandaça !!!!! 


Momento em que uma garota é convidada a subir no palco.

No domingo dia 24, foi o dia de ver e ouvir a legendária banda Def Leppard, idos de 70, NWOBHM, tocar os clássicos e mandar ver no puro rock and roll. Muito boa a apresentação ainda mais com o incrível baterista Rick Allen, que mesmo sem o braço esquerdo amputado após um acidente de carro na disputa de um racha, arrebentou, tocou muita bateria, absurdo.


Após o showzaço do Def Leppard aguardávamos com inquietude Steven Tyler e sua trupe e com um atraso de cerca de 35/40 minutos o Aerosmith subiu ao palco e detonou o melhor do blues rock. Liderados por Steven Tyler e Joe Perry a banda tocou por horas e levou a galera ao delírio. Desta vez fomos de pista e conseguimos um bom lugar pra curtir todos os grandes sucesso desta banda de enorme importância ao rock and roll.

Fotos e vídeos captados nos shows

cadeiras nivel 1


Pista 





































terça-feira, 15 de agosto de 2017

Say hello 2 heaven


Sex, drugs and death

Uma pequena coletânea de artistas que se foram nos ultimos 30 anos devido ao uso irrestrito de heroina, alcool e outras coisinhas mais.....

Andrew Wood - vocal
Morte por heroína em 19/03/1990
Mother Love Bone foi uma das bandas precursoras do Grunge, formada em 1987







Kurt Cobain - vocal
Suicídio chapadão de heroína em 05/04/1994
Nirvana foi a banda épica e mais conhecida do movimento Grunge






Kristin Pfaff - baixista
Morte por heroína em 16/06/1994
Hole foi banda de Los Angeles formada em 1989 e liderada por Kurtney Love.










John Baker Saunders - fundador e baixista
Morte por heroína em 15/01/1999
Mad Season foi uma banda grunge formada em 1994 por um grupo paralelo de artistas de bandas como Pearl Jam, Alice in Chains e Screaming Trees









Layne Staley - vocal
Morte por heroína em 05/04/2000
Alice in Chains banda americana formada em 1987, vai do grunge ao rock e beira o metal.
Stafanie Sargent - guitarra
Morte por heroína em 27/06/1992
7 years bitch foi uma banda formada em Seatlle idos de 1990








Chris Cornell - vocal
Morte por enforcamento em 18/05/2017
Participou de 3 bandas, Temple of the Dog, Soundgarden e Audioslave, além da carreira solo.








Outros artistas do rock que sucumbiram às drogas...

Shannon Hoon - vocal
Morte por over de cocaina em 21/10/1995
Blind Melon - banda de Los Angeles formada no início dos anos 90







Bradley Nowell - vocal
Morte por heroína em 25/05/1996
Sublime foi uma das melhores bandas de ska, reggae e punk rock dos anos 90, apesar de formada em 1988 na cidade de Long Beach, Califórnia.








Mike Starr - Baixista
Morte por metadona em 08/03/2011
Alice in Chains banda americana formada em 1987, vai do grunge ao rock e beira o metal.










Mikey Welsh - Baixista
Morte por heroína em 08/10/2011
Weezer é uma banda de pop rock formada em Los Angeles idos de 1992 atuante até os dias de hoje






Scott Weilland - vocal
Morte por overdose cocaina em 03/12/2015
Vocalista do Stone Temple Pilots e do Velvet Revolver, uma super banda de rock formada por ex-integrantes do Guns and Roses. 







Chester Bennington - vocal
Morte por enforcamento em 20/06/2017
Vocalista do Linking Park banda ícone do Nu-Metal, Rap-Metal ou o rótulo que você quiser dar, formada na Califórnia em meados de 1996. Também foi vocal do Stone Temple Pilots e de uma banda de projeto paralelo, Dead by Sunrise



MIchael Hutchence - vocal
Morte por enforcamento em 22/11/1997
Lider do INXS, banda australiana de poprock, formada final dos anos 70 com grande repercussão nos anos 80, principalmente com o album QUICK, de 87











Chorão - vocal
morte por overdose de cocaina 06/03/2013
Lider da banda da baixada santista Charlie Brown Jr, uma das melhores bandas de rock brasileiro dos anos 90










Champignon - baixista
Morte por enforcamento 09/09/2013
Um dos fenômenos do baixo brasileiro e integrante da banda Charlie Brown Jr.

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Raimundos e Rag'n Bone Man

Saiu o novo dos Raimundos, uma belezura de acústico muito bem produzido, com músicos de primeira grandeza e convidados mais do que especiais.

Na minha opinião um dos melhores álbuns lançados da banda pra esquecer os últimos porcarias que os Raimundos colocaram nas prateleiras, o último bom que ouvi foi MTV ao vivo em 2000.Na discografia destaque para o primeiro albúm homônimo de 1994, um crássico do rock nacional. Depois vieram Lapadas do Povo 1995, Cesta Básica de 1996, Lapadas do povo 1997 e Só no Forevis de 1999, depois desses nada relevante.

O DVD com 27 faixas num total de 1h42 de músicas, o CD traz apenas 17. Apesar de deixar algumas boas de fora é um showzaço do início ao fim e que conta com participação do Alexandre do Natiruts, da Banda Oriente, do Fred batera da formação inicial, Dinho e a Ivete Sangalo. O maior destaque é a participação do Marcão, ex-guitarra de Charlie Brow Jr fazendo a sensacional e emocionante Lugar ao Sol. Outro som de foder é Deixa eu falar com a participação de ALexandre do Natiruts, um som com um toque de Kashimir a lá Led Zepelin. O pão da minha prima traz uma sitação maravilhosa ao som Monkey Man que vc deve ter ouvido recentemente com Amy Winehouse mas que é originalmente de Toots and the Maytals. Com muitos arranjos puxado pro ska é um som melhor que outro, por exemplo Bonita, baita som e que desta vez contou com a voz feminina de Ivete Sangalo. O batera original da banda, Fred Castro, assume tocando em Selim e Cintura Fina. Puteiro em João Pessoa, Esporrei na manivela e Eu quero ver o Oco fecham esse espetacular show, gravado dias 17 e 18 de novembro de 2016 no Teatro Paraios em Curitiba. Agora é ficar na expectativa do lançamento do DVD.





Outro som muito bom que ouvi esse mês foi do Rag'n Bone Man.
Rory Graham nascido em Uckfield, Inglaterra começou sua carreira musical no R&B Soul ou Blues imitando Muddy Waters, e logo depois conheceu o hip-hop, isso aos 15 anos. Sua carreira solo começou aos 19 e a inspiração para o nome surgiu da lembrança do seriado Steptoe and Son - Rag and Bone Man, um seriado que rolava nos anos 60 e que Rary assistia junto com seu avô.
Com uma voz poderosíssima, profunda e repleta de sentimentos começou a lançar seus EP's, e o primeiro veio em 2012, Bluestown, na sequência vieram outros, 2014 Wolves, 2015 - Disfigured (EP) e o atual, 2017 - Human (Deluxe Edition).
Vida longa ao Soul Music R&B


terça-feira, 18 de abril de 2017

Retorno ao Jiu Jitsu tradicional Japonês

Em meados de 1996/97/98 iniciei uma nova e dura fase após uma separação matrimonial, me separando da casa, mulher, filhos e até da empresa que viria a fechar. A vida deu uma volta, tipo looping e me deixou de cabeça inchada, doia tudo, muito estresse, ansiedade e uma angústia por um momento melhor. Foi dessa necessidade que procurei a arte marcial, indicado por um médico neurologista para que as durezas do dia a dia pudessem estravazar no tatame.

Procurei um Mestre na arte, por sorte tenho um primo Mestre no Jiu Jitsu tradicional Japonês estilo Budokan, Mestre Leonardo Moreira, um dos poucos senão único no estilo japonês praticado aqui no Brasil. Comecei os treinos e no começo foi bem dificil a adaptação, como em tudo o que você não conhece e vai com a cara e a coragem, eram treinos duros fisicamente e tecnicamente estava aprendendo o estilo Budokan, mas eu tinha disposição, disciplina, respeito e vontade de aprender.

Foi assim que comecei e fique por quase 3 anos, as dores de cabeça sumiram e através da prática da arte marcial melhorei muito meu controle emocional, meu foco e concentração com objetivos claros e após anos de treinos duros e avaliações acabei conquistando a graduação que carrego comigo até hoje com muito orgulho, a faixa laranja.

Após uma viagem não justificada, considerada falta de disciplina fui desligado e não fiquei no grupo.

Daí o destino me coloca de frente ao estilo Budokan mais uma vez quando encontrei um dos alunos da época que graduou-se Mestre com a Faixa Coral 6 grau, meu amigo e vizinho Mestre Michel que me convidou a retornar aos treinos.

Aceitei!

Voltei aos treinos, duros como sempre e hoje ainda mais, os treinos são as 6h da manhã, aja disposição e comprometimento, meu corpo também não é mais o mesmo, evidente, mas a memória muscular começa a trabalhar e a técnica volta aos poucos. Treino com uma galera 10 anos mais nova, pressão total, tiro o máximo do meu corpo e da minha mente mesmo porque continuo com minha graduação e pela ordem e respeito todos me comprimentam com o respeito que a faixa exige, e o respeito é recíproco porque a galera é casca grossa e vem pra cima, independente da minha idade até porque eu não dou moleza, pelo menos nos primeiro minutos, hehehehe.

Aos poucos as cartas do baralho estão chegando em minhas mãos, alguns coringas estão aparecendo, começando a entender golpes x situação x posição, nossa arte é um xadrez, um movimento aqui pensando na defesa, no contra-ataque e no ataque surpresa e suas armadilhas que você ajeita para o adversário ou cai nela.

O fato é que a volta ao dojo, com um time que já viraram amigos, tem feito muito bem a saúde, apesar das dores nas articulações, dói tudo, contudo o prazer e a descarga de hormônios vale a pena, é essencial ao meu corpo, pois existe um vírus esportivo em mim que me faz ser competitivo e nunca desistir, e isso eu levo pra vida em todos os sentidos.

Viva o esporte, Viva o Jiu JItsu tradicional Japonês.
Esporte é vida, Arte Marcial é disciplina, dedicação e respeito acima de tudo.








quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Dicas para pular o Carnaval nos blocos de rua de SP


E aí pessoal, beleza ? 

O carnaval está chegando e você ai sem saber direito como vai fazer para agitar nos blocos durante os dias de folia aqui pelas ruas de São Paulo ?

Durante os dois últimos finais de semana de fevereiro São Paulo vai ferver com mais de 300 blocos, bloquinhos e blocões cortejando pelas ruas e avenidas da cidade, por todas as direções e para todos os gostos. Muitos blocos saem em uma única data, o Bloco Bicho Maluco Beleza de Alceu Valença que sai no sábado dia 18 no Ibirapuera e o Bloco Gambiarra de Thiago Abravanel que sai dia 19 na Faria Lima, no mesmo dia que sai o Acadêmicos do Baixo Augusta, estrelado por Alessandra Negrini ( Rainha ) e Simoninha puxando os sambas lá na Consolação x Paulista.

Nos dias 25, 26 e 27 saem outros blocos que eu gosto muito e pelo 3o ano consecutivo irei prestigiar, que são o Bloco 77 Originais do Punk saindo na Cardeal Arcoverde, Bloco Carnavalesco João Capota na Alves na Rua Oscar Freire e o Bloco Jégue Elétrico em Pinheiros.

Vou dizer que a tarefa não é das mais difíceis, mas dependendo do seu grau de leseira você pode se dar mal e voltar pra casa mais cedo.

- Tá, então me diga como faço pra sair em todos ao mesmo tempo e não dar Perda Total no meio do caminho ?

Vou listar algumas dicas que eu acho importante e que podem te salvar.


  • primeiro de tudo, se você não gosta de zueira, tumultinho e rua "crowdeada", nem vá
  • segundo, planejar e definir qual bloco você quer sair, local e horários, alguns blocos saem em duas datas diferentes
  • veja qual bloco agrada mais, se nunca foi e não tem idéia do bloco veja a página no facebook, a maioria tem fotos e comentários 
  • verifique a localização, muitos blocos concentram próximo ao metrô e o custo de R$3,80 vale a pena. 
  • vá e volte de Táxi ou Uber mesmo se não for beber. As ruas ficam insuportáveis.
  • se for levar uma breja pra tomar cuidado com os coolers, isopores e carrinhos. Durante o cortejo aquele carrinho batendo nos tornozelos alheios pode incomodar
  • se conseguir leve as bebidas na mochila dentro de uma bolsa térmica, mais fácil e você abastece depois em qualquer supermercado. geralmente nessas bolsas você consegue levar 15 latinhas mais o gelo.
leve uns amendoins salgadinhos e sem pele. amendoin cabe em qualquer lugar e cai bem durante a concentração do bloco e sem pele pra você não pagar mico com o dente sujo
  • leve uns sandubas simples com pão de forma, queijo branco, atum, cenoura ralada, presunto e queijo, esses do tipo que levavamos aos parques na época de escola. Quando a fome bater esse sanduba vai te ajudar, vai por mim, melhor do que comer aquela coxinha esquisita do boteco. EVITE comer coisas muito gordurosas

  • O Sol costuma estar presente então proteja-se com chapéu, boné, óculos e bastante filtro solar. O sol desidrata e maltrata o corpo, por isso proteja-se e mantenha-se hidratado porque no final do dia valerá a pena.
  • NUNCA leve garrafas de vidro
  • SEMPRE leve garrafas de água, isotônico e cuidado com o excesso no energético.
  • SEMPRE tenha umas camisinhas guardadas, o maior índice de natalidade é o mês de novembro, por isso previna-se !!!!
Boa Folia !!!!!




Bicho Maluco Beleza 

Bloco Gambiarra

Bloco 77

Bloco João Capota na Alv